O que o João Dória pode nos ensinar sobre mídias sociais

Tempo de leitura: 11 minutos

Esse não é um post de cunho político e sim de cunho empreendedor. De qualquer forma, se você tem uma visão política contrária ao prefeito de São Paulo João Dória Júnior, provavelmente odiará o que escrevi abaixo porque em alguns momentos ovacionei seu trabalho.

Por esse motivo, você não é bem vindo ou bem vinda aqui. E provavelmente minha visão sobre ele como prefeito de São Paulo seja um pouco romântica ou, em alguns momentos, meio cega. Entretanto, o objetivo aqui é entender os ensinamentos que podemos tirar desses poucos meses de trabalho dele em SP e não fazer uma propaganda política.

Entretanto, como “jovem” empresário e membro do LIDE Futuro (instituição da qual ele é fundador), devo dizer que é um orgulho sem tamanho ver tudo que ele tem feito em São Paulo e a forma como ele tem conduzido tudo isso. Todo empreendedor que se preze sabe que a solução do nosso país (assim como de quaisquer outros países) está na iniciativa privada e não nos órgãos públicos.

Por esse motivo, políticos que defendem a “desestatização” têm feito tanto sucesso e se tornado notícia na maioria dos portais e jornais Brasil afora. Ouvi certa vez de um colega meu, Vereador de Florianópolis, dizer que o ideal é que o Estado seja tão bom mas tão bom que você nem sinta a presença dele no seu dia-dia – e eu concordo. Ou seja, se você não estiver reclamando de nada, talvez aí você esteja no lugar certo.

Mas como eu falei no começo, o objetivo não é falar de política, mesmo porque acompanho muito pouco e não teria argumento suficiente para questionar a maioria dos comentários fervorosos, muitas vezes agressivos e de cunho político que podem ser feitos aqui.

Vamos falar de negócios e mídias sociais? (Ufa, até que enfim um assunto que eu realmente gosto…)

1. O que é e o que não é

Por motivos óbvios, criou-se um estigma muito grande de classe política brasileira. E falo por mim, colegas que vieram me dizer que estão se candidatando a alguma coisa já me vem à cabeça “putz, lá vai mais um vender a alma para o diabo”. E não é por maldade, é talvez por preconceito da minha parte ou até por descrença de que seja possível fazer algo lá dentro.

Entendendo que o João Dória definiu muito bem o que ele é e o que ele não é, e você pode tirar um grande aprendizado disso. Diversas vezes, você pode perceber que ele diz “eu sou um administrador, e não um político”. É claro que, como um apaixonado por marketing, eu sei o que está por trás desse discurso dele.

Afinal, ele quer que as pessoas repitam isso como se fosse um diferencial competitivo (e é, não é?). Sendo assim, o primeiro aprendizado que podemos ter com ele é: tenha um diferencial competitivo. Qual a diferença entre o Dória e os “políticos profissionais”?

A diferença é que ele é um administrador historicamente de sucesso e trata a cidade de São Paulo como trata seus negócios: precisa estar limpo, bem administrado, com gestores competentes, precisa dar o exemplo e mais importante, precisa ter lucro.

Da mesma forma, ele acorda (muito!) cedo, recruta seus secretários de acordo com sua capacidade de execução e não pelo seu QI (Quem Indica) e por aí vai…

2. Bote a boca no trombone

Já dizia o ditado “Quem não é visto, não é lembrado”. E o Dória faz questão de ser lembrado. Ele não é só um trator para trabalhar, ele é também um excelente marketeiro, um super orador e tem todas as qualificações comerciais necessárias para estar onde está.

Entretanto, de que adianta você ser excelente, ter um produto ou serviço maravilhoso se ninguém sabe que é bom? Para ter sucesso nas mídias sociais você deve falar ao mundo o quanto seu produto é bom e o quanto você confia nele.

Afinal, não era isso que você queria quanto fundou sua empresa? Ué, você não queria que seu produto ou serviço fosse conhecido e que todos fossem fascinados pelo que você faz? Não quer ter lucro? Não quer fazer a diferença na vida das pessoas? Ou quer ser apenas mais um?

Se você quer tudo isso, precisa mostrar-se ao mundo e botar a boca no trombone. Falo isso porque em 80% dos casos, a maior crença dos meus clientes é em pegar a câmera do celular e gravar um vídeo falando do seu produto, serviço, negócio ou simplesmente falando de si mostrando o que faz bem.

Nesse momento, nada faz mais sentido que o poema que Nelson Mandela leu no seu discurso de posse em 1994. Segue abaixo para reflexão:

Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes.
Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta.
Nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?” Na verdade, quem é você para não ser tudo isso?…Bancar o pequeno não ajuda o mundo. Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você.
E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo.

3. Haters no bolso

É muito simples perceber como o Dória lida com seus haters: com muita transparência e jogo de cintura. Analisando qualquer post que ele tem feito recentemente nas mídias sociais você pode ver exatamente como ele lida com isso.

Um caso bastante interessante foi o da Amazon que resolveu criticar o prefeito no seu mutirão para apagar as pixações e grafites da cidade. E ele respondeu a altura, usando ainda esse “deslize” da Amazon que se aproveitou de uma briga partidária para fazer marketing para chamar atenção de outras empresas com objetivo de apoiar uma escola da cidade. Isso sem falar do Lula que xinga ele o tempo todo, mas nem vou gastar meu português com esse cidadão (que nem português fala direito – e sim, eu odeio ele).

Sobre essa temática, a pergunta que sempre me fazem é a seguinte: “O que eu respondo para as pessoas que me xingam nas redes sociais? Posso apagar?” e respondo fazendo outra pergunta: “Se você tivesse uma experiência ruim com uma empresa e reclamasse nas mídias sociais, o que você esperaria que eles fizessem?”

Sendo assim, é importante entender que existem dois tipos de haters: aquele que vai te odiar simplesmente porque ele acordou com o pé esquerdo e aquele que teve uma experiência ruim com você (seja mal atendido pela sua marca ou não gostou de algo que você disse).

Para o primeiro caso, não tem jeito. Sempre aparece um maluco ou outro que xinga você do nada e não tem muito o que fazer. Nesse sentido, você pode se defender da forma que achar mais apropriada, inclusive apagando o comentário.

Para o segundo caso (o mais comum) daí sim você tem que fazer algo a respeito. Se a pessoa teve uma experiência ruim é seu dever conversar com ela. Sua postura é não só de pedir desculpas mas de propor uma solução para isto. Afinal, se a pessoa “gritou”, ela quer uma solução.

Muitas vezes essas pessoas só querem ser ouvidas. Muitas vezes elas só querem um “mil desculpas”. Outras vezes elas querem uma solução definitiva para que ela continue sendo seu cliente.

Não existe mais espaço para a empresa perfeita. Aquele “mundo Rede Globo” não existe mais, e todos nós sabemos disso. O problema é como você lida com os seus problemas: encara de frente ou joga para baixo do tapete? Nem sempre é fácil, eu entendo. Porém, é necessário.

4. Quer mais vendas? Faça isto.

Quer atenção do prefeito? Faça um comentário inteligente nas suas mídias sociais (de preferência seja um dos primeiros) e a equipe dele (em raras exceções – o próprio), de prontidão, irá responder sua colocação da forma mais alinhada possível com o discurso do João Dória.

Muitas pessoas reclamam que não possuem engajamento suficiente nas mídias sociais mas também não fazem seu papel para conquistá-lo.

Se você quer conquistar uma pessoa e ela sorri para você, o que você faz? Sorria de volta! E se uma pessoa curte o seu post, o que você faz? Faça algo para chamar a atenção dessa pessoa de forma que estimule ela a interagir com você.

O nível de engajamento de uma pessoa que escreve algo nos comentários é altíssimo! Provavelmente o que você falou/escreveu chamou muito a atenção dessa pessoa a ponto dela dedicar seu tempo para escrever algo para você.
E quando as pessoas conquistam isso, sabe o que elas fazem? Curtem o comentário da pessoa e… só! Lamento muito, mas dessa forma, dificilmente você vai ganhar o coração das pessoas.

Agora pense: se você entra no perfil da pessoa, vê o que ela faz e comenta algo que está super conectado com ela. Por exemplo, se você vende produtos para bebês e vê que ela tem um filho que se chama Pedro e está numa foto brincando de carrinhos. Vai lá e fala: tenho certeza que o Pedro, que parece gostar de carrinhos, vai adorar essa camiseta com desenho do McQueen!

Percebe que é muito mais que um “joinha”? No curso O Mito das Mídias Sociais temos uma aula completa só falando como vender mais e aumentar engajamento através das respostas aos comentários dos seus seguidores. Se a pessoa somente curtiu sua foto, adicione ela no WhatsApp e marque de bater um papo para saber mais sobre ela e ver se ela pode se tornar um possível cliente.

5. Seja ético e transparente

O Dória pode ter vários defeitos e, possivelmente (ou potencialmente), está cheio de segundas intenções nessa prefeitura de São Paulo mas não tem como dizer que ele não dá a cara a tapa. Aquele papo de “estou momentaneamente como prefeito e vou me dedicar a isso” na minha opinião é puro Marketing para que ele se candidate a presidente do Brasil num segundo momento.

Transparência e ética tem sido palavras muito presentes na gestão dele. E se você quer ter sucesso no mundo dos negócios, saiba que isso é imprescindível. Afinal, quem gosta de fazer negócios com “calhordas”? rs.

Enfim, independente de qual seja sua opinião sobre o trabalho do prefeito de São Paulo, convenhamos: ele dá um show de marketing nas mídias sociais, não dá? Nunca vi um político tão ativo, com tanto engajamento e comentários positivos a respeito do seu trabalho.

Sempre que vejo ele postando algo, gravando vídeos ou interagindo com a audiência eu fico pensando: “e tem microempresário, com muito menos atribuições que o prefeito de uma das maiores cidades do país, que diz não ter tempo de interagir nas mídias sociais?”. Eu fico pensando: que tanto de atividade é essa empresa que dá mais trabalho que uma cidade inteira?

Por fim, você pode imaginar porque fiz um post sobre o trabalho dele… a questão é que se o prefeito mais marketeiro da história de São Paulo usa as mídias sociais para promover seu trabalho e se aproximar do público, eu te pergunto: por que você ainda não está usando essa simples, poderosa e barata ferramenta de marketing para o seu negócio? Já passou do ponto!

O Dória é muito ativo no Facebook mas eu diria que hoje o Instagram é a bola da vez. Inclusive criamos um material explicando os 14 erros que as empresas mais cometem no Instagram e eu aposto que, se você investe nessa plataforma, algum desses erros você comete – sem sombra de dúvidas!

5.00 avg. rating (100% score) - 3 votes